Páginas

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Mar

Observo o mar com olhos confusos pelo tempo que vejo passa diante deles, vejo que os movimentos das ondas são um retrato do proprio planeta que vivemos com suas indas e vindas, o tempo não passa de uma criação da nossa mente confusa e sentido, sorrimos para não demonstra tristeza nos nossos olhares, que segue a paisagem que se passa adiante dos nossos belos olhos.
O vento perto do mar me aconchegar de uma forma infinita, me faz sentir que nada pode me ferir, mas quando saiu de perto dele me sinto só, e confuso me junto com todos os que não sabem o que querem da sua vida, quais objetivos querem atingir só sentem o medo os consumirem, a infelicidade de sequi as regras da sociedade, que não se importa com a seu bem estar.
Diante do mar tudo isso desaparece é meu local descanso e sempre que retorna, para frente dele esquecerei que vivo no mundo frio e confuso. Diante dele me sinto, livre para ser o que quiser sem regras e sem sofrimento e desiluções.
Esse é meu ponto de distração e diversão.
Todos nós precisamos de local para se esquece todas as regras do mundo.
Eu encontrei o meu, além do horizonte do mar existi algo mais, do que o pôr-do- sol?
By Adonis

Um comentário:

Anderson disse...

todos sao massa, mas esse aki parece comigo, vlw abraços continue vc ta no caminho certo kra vlw fui.............