Páginas

domingo, 30 de dezembro de 2012

Certos momentos



Um dia me olhei no espelho já não reconheci mais aquele ser de frente para aquele pequeno reflexo que se transmitir daquele vidro. Depois de tantas mudanças e tantas decisões difíceis que havia tomado para superar os problemas. Ao olhar para espelho vi que estava me tornando em algo que jamais gostaria de ser, porém a vida não nos deixa muita escolha e acabamos sendo forçado a tomar decisões que iram prejudicar outras por beneficio de outros.
E com tempo acabamos nos tornando em monstro sem perceber e nas poucas vezes que notamos nos que estamos tornamos não há mais como remediar os efeitos cascatas que estão para ocorrer. E ficamos presos nesse ciclo que o mundo criou, um ciclo amaldiçoado pelo tempo e espaço que tende a se repetir e repetir varias vezes.
Muitas tentam destruí esse ciclo, porem acabam sendo engolidos por ele e se perdendo por completo dentro dessa forma monstruosa. Somos seres frágeis no mundo hostil e sem piedade. Somos almas que tendem a se perder e seres sem coração que só visam a si mesmos.
Quando olhei no espelho não vi mais uma pessoa e sim um monstro que se alimenta da existência dos outros e não se importa mais com nada que não seja eu mesmo. Me tornei no monstro que o ciclo do mondo que vive criando desde que os seres aprenderam a se comunicar com palavras e dar valor ao dinheiro invés no de dar valor ao seus semelhantes.
Me tornei no ser que todos um dia gostaria de ser, pois assim não sentiriam remorso quando passasse por cima dos semelhantes. Acabei me tornando no ser sem coração que todos conhecem por milionário ou bilionário. Onde todos almejam e poucos conseguem.
Somos os monstros que devoram a essência de cada ser desse mundo sem nenhum arrependimento e triste ver que nenhum de vocês percebem isso.

Autor: Adonis Luiz

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Capitulo 2




Na cidade de (CIDADE A DEFINIR) e numa boate requintada um homem com roupa formal observar uma bela dama no balcão do bar tomando sua bela dose de whisky com seu belo sorriso começa a se aproxima daquela morena com um vestido que ir ate de baixo do joelho, com uma levada para vermelho claro, porém liso. Ele cabia no corpo dela perfeitamente e seus cabelos que passavam do ombro com seu tom castanho claro. Sua aparência a vazia deslumbrar qualquer um que a via. A bela moça percebeu se aproximando dela e deu aquele belo olhar para o encanta e aumentar o desejo dele por ela. Ao chegar perto dela, ele ver a cor dos belos olhos que ela possui é uma cor levada para o mel.
???: Posso pedir para que você me acompanhe numa dança?
???: Poder pode. A questão é? Se eu irei aceitar.
???: Você ira me deixar na vontade sentir o seu corpo junto ao meu num compasso que só a musica pode proporcionar?
???: Hum, então você sabe fala bonito. Eu gosto de homens assim que sabem falar e encantar uma dama com lindas palavras. Mais me responda algo?
???: O que?
???: Entre tantas mulheres por que me escolheu?
???: Escolhi-te dentre todas pelo seu belo charme que encanta qualquer um que a veja.
???: Então como prêmio lhe concederei essa dança que você me pediu para lhe acompanhar e espero que não me arrependa.
???: Com certeza farei do meu melhor para não te decepcionar.
Os dois vão o centro da boate para começar a dança e uma musica lenta toca no momento. No belo compasso que se toca os dois juntam o seu corpo a tal ponto que ele consegue deixar o seu rosto ao lado dela e sussurrar uma pequena pergunta.
???: Agora que estamos aqui juntos você poderia me dizer o nome da bela dama que esta me acompanhando nessa bela musica.
???: Vejo que você esta bem interessando. Mais por educação se apresente primeiro caso contrario e não irei te falar o meu.
???: Compreendo e respeitarei o seu ponto de vista. Eu me chamo Cloud Dilermando.
???: Prazer Cloud Dilermando, o meu é Adriana Leônia.
Cloud: Prazer Adriana. Agora me diga o que uma bela morena como você gosta de fazer?
Adriana: Acho que não seja interessante saber o que gosto de fazer, pois o local que estamos não me permiti.
 Cloud: Hum... Estou vendo que você é bem quente, além de  encantadora.
Adriana: Você não acha que pensou errado não?
Cloud: Acredito que compreendi a mensagem exatamente do jeito que você quis transmitir.
Nesse mesmo instante a musica parar e ela se afasta dele vagarosamente e colocar o dedo indicador no meio dos lábios. E aquele olhar tentado lançado sobre os seus olhos o chamando para que ele a seguir-se.
Não resistindo ao olhar tentador que ela lançou o mesmo o segue pelo caminho que ela trilha na pista de dança, passando entre as pessoas e se desviando daqueles que estavam no compasso da musica que se iniciou.
Bela morena retorna para o bar e esperando novo companheiro a seguir ate o local. Ela observa o belo Cloud chegando cada vez mais próximo do bar. E percebeu que ele não tinha resistido aos seus belos encantos.
Com um belo sorriso e um olhar meigo que faria qualquer homem se derreter.
Adriana: O que você quer agora Cloud? Eu já lhe dei o direito de uma dança.
Chegando próximo dos ouvidos dela ele sussurra.
Cloud: Gostaria que você me acompanhe-se para outra festa que esta começando agora. O que você me diz?
Adriana: Uma ótima proposta... porém o que te fazer acreditar que eu irei aceitar?
Cloud: Só achei que você gostaria de ir para um lugar mais animado e fazer algo mais animado que ficar nessa boate. Mais se você não quer me acompanhar não irei forçar.
Adriana: Então isso é um ultimato?
Cloud: Não diria um ultimato, porém estou de partida se quiser vim? Seja bem vinda.
Adriana: Então irei, pois quero o quanto animando vai ser essa festa que você me propus.
Cloud: Tenha certeza que não ira se arrepender.
Os dois saem da boate e manobrista vem deixar o carro de Cloud um Audi R8 Spyder.
Adriana: Belo carro que você possui.
Cloud: Esse aqui?
Adriana: Sim.
Cloud: É só um dos cinco que possuo.
Adriana: Lindo, charmoso e ainda rico. Quem diria?
Cloud: Acredite você não ira encontra outro igual a mim em outro lugar em toda a sua vida.
Adriana: E ainda convencido, hum.
Cloud: Convencido não. Só sou realista é completamente diferente.


Os dois entram no carro e meia hora do local da boate chegaram num casarão que de vista parece pertencer ao um bilionário. Dentro dela estava acontecendo uma grande festa privada que poucos selecionados poderiam desfrutar.
Adriana: Belo casarão. Quem esta patrocinando essa bela festa?
Cloud: Um dos grandes magnatas da cidade e dono de um quinto da renda mundial. Em outras palavras alguém que poucos podem ter o privilegio de esta no mesmo ambiente.
Adriana: Se ele é tão importante assim, por que você me trouxe aqui? Você não acha que irei te envergonhar?
Cloud: Envergonhar-me? Não, pois eu sei que você tem ótimos modos, só pela forma como você se comportou minha bela Adriana.
Adriana: E ainda um ótimo observador cada vez mais esta me surpreendendo.
Cloud: Com o tempo você aprende analisar as pessoas da melhor possível e ver o que elas têm de melhor para contribuir para você.
Adriana: Entendo o que você quer dizer com isso. Mais vamos entrar ou só ficar aqui fora conversando?
Encostando no portão sai uma voz do visor.
Mordomo: Poderia me dizer o seu nome?
Cloud: Alfred sou eu o Cloud Dilermando.
Alfred: Oh senhor Cloud me desculpe não queria ser rude com você, mais você sabe como é procedimento?
Cloud: Sim, conheço Alfred. Não precisa se preocupar já que na minha residência procedo da mesma forma. Mais e ai ? Vai nos deixar aqui fora mesmo ou vai deixar nós entrar?
Alfred: Com toda certeza deixarei entrar. E seja bem vindo a casa do senhor (....).
Os portões se abrem e eles passam por um belo jardim varias rosas cultivadas na qual exalavam um belo aroma no ar. Chegando na porta da mansão um manobrista esperava para estacionar o carro em local.
Bem vindos a casa do senhor (...), espero que se divirtam bastante.
Cloud: Obrigado. Vamos minha bela Adriana.
Adriana: Vamos ver se iremos nos divertir mais que na boate onde eu estava.
Eles entram na festa e varias pessoas importantes se encontravam no local deste da politica ate do crime organizado.
Adriana: Belo local você me trouxe.
Cloud: É eu sei, mais não precisa se preocupar ninguém irá te machucar aqui e muito menos dar em cima de você já que você esta acompanhada comigo.
Depois de varias horas conversando com todos os tipos de pessoas ate o anfitrião. Chegou o momento de ir embora.
Adriana: Meu querido Cloud, creio que seja a hora de irmos embora, pois o dia esta raiando e gostaria de aproveitar mais um momento junto com você em outro canto.
Cloud: Gostei. Meus caros amigos que ficam espero que vocês aproveitem o resto da festa, pois eu tenho companhia para dar atenção especial.
Os dois saem da mansão e espera o manobrista trazer o carro.
Adriana: Aonde você gostaria de me levar agora?
Cloud: Conheço um ótimo lugar na qual podemos ficar sozinhos e aproveitar a companhia um do outro.
Adriana: Então me leve para lá.
Cloud: Então, assim seja.
No mesmo instante chega o manobrista com o carro e os dois entram.
Cloud a leva um pequeno motel de luxo e os dois reservam um quarto para o resto da noite. Ao entrarem a bela Adriana entra no banheiro para retocar a maquiagem, enquanto isso Cloud espera calmamente por ela.
Ao sai ela o ver sentando sobre a cama espero atenciosamente por ela. Com um pequeno charme ela vai se aproximando dele. Ao chegar senta sobre as coxas dele e o beija lentamente.
Cloud começa a sentir o seu corpo a ficar dormente vagarosamente e tentar falar algo, porém não consegue pronunciar nenhuma palavra.
Adriana: Então finalmente o efeito do paralisante começou. É exatamente o que você esta pensando. Acho interessante como vocês homens não aguentam ver uma bela mulher e não se deixar cair pelos encantos dela.
É um belo motel e bastante requintado é uma pena que aqui será o seu tumulo Cloud ou devo chamar de covarde que bate em mulheres indefesas. Você achou mesmo que ficaria impune por tudo que você fez a elas? Pois bem você acabou de cai nas garras de A Felina negra. 
Sou exatamente aquela que todos estão procurando e que ninguém jamais viu o seu verdadeiro rosto, pois todos os que conheço os elimino com estilo. Você foi escolhido para morrer de formar lenta e dolorosa.
               Nesse mesmo instante ela enfiar uma agulha longa atrás da nuca atingindo no cérebro. 

Adriana: E para ser franca eu também não descobriria, pois a mesma se encontra escondida na parte mais profunda da floresta amazônica. Mais o destino me pressentiu-o com esse pequeno presente.
 E com ela venho conseguindo eliminar pessoas como você desse mundo. Pessoas que machucam as mulheres e pensam que elas são as suas escravas.
Para mim só por vocês existirem corrompem a beleza desse mundo que vivemos. Foi fácil chegar próximo de você, o que não compreendo é como vocês caem tão fácil nesse ar de sedutora. Creio que pensam que podem desvendar o mistério que escondo atrás desses meus lindos olhos. 
Enquanto isso Cloud começa se contorce com efeito do veneno que se encontra na agulha. E sua mente começa apaga, porém antes disso ele a ver olhando para ele com um sorriso maligno que só um monstro pior do que ele poderia possuir.
Adriana: Menos um para me preocupar. A grande questão agora é como irei escapar daqui? Sem que ninguém veja.
Verificou todos os cômodos do quarto e a única opção seria sair pela janela, porém no lado de fora existia câmeras de vigilância.
Adriana: Então essa é única saída que possuo? Ainda bem que toda vezes as coisas sempre são emocionantes, por que senão não teria graça.
Ela sai pela primeira parte da janela e consegue desviar do ângulo da câmera que esta localizada a 2 metros direcionados a sua janela. O local esta meio escuro devido à privacidade que necessária dar para os casais que visitam esse tipo de lugar.
Com varias técnicas aprendidas com o seu velho mestre ela consegue desviar de todos os empecilhos e escapar do motel sem ser vista por ninguém.
Seguindo entre os becos da cidade se distancia do local do seu assassinato, porém nem tudo no mundo é fácil. Ao vira uma das esquinas do beco é surpreendida por tipo de buraco negro onde é puxada por efeito da atração da quantidade da pressão liberada por ele.
E desaparecendo do local sem deixar uma pista se quer da sua existência naquele local obscuro.

domingo, 25 de novembro de 2012

Diario de Angelo


Me lembro como se fosse ontem o dia que nos conhecemos, eu estava la no canto da sala rabiscado o meu caderno com desenhos uniformes e fomos obrigados a nos apresentar um por um diante dos colegas de classe. Naquela época eu era uma pessoa trancada e introvertida, nao gostava muito de me expor. Eles nao entendia como me sentia, para dizer a verdade as pessoas nao compreendem mesmo depois que crescem, sempre estamos nesse ciclo vicioso.
Mais naquele dia nos conhecemos devido essa apresentação obrigatoria que as professoras nos obrigam a fazer. Com o tempo fomos crescendo e descobrindo que a vida nao é so diversao e brincadeiras. E com tempo aprendemos que temos responsabilidades e deveres a cumpri com a sociedade.
E muitos dos nossos sonhos acabam sendo esmagados com essas responsabilidades. Com passar dos anos percebemos que precisamos nos relacionar com outra pessoa para dividir nossos sonhos e desejos, que aparecem quando chegamos na adolescencia. Desejos carnais que as vezes que acabam destruindo relações de formas unicas e desesperadoras.
Sua adolescencia vi o quanto você sofreu com garotos que nao te amaram como você queria ser amada, e como sua beleza as vezes atraia pessoas indesejaveis. E isso continuo acontecer varias vezes e você comentava as vezes sobre essas frustações comigo, e sem perceber aquele garoto um dia que ficava rasbicando o seu caderno no fundo da sala, acabou se apaixonando pela sua amiga extrovertida e bela, porem percebi que com tempo que nao poderia falar sobre os meus sentimentos para você e tive que guardar tudo dentro da minha alma por mais ver você sofrendo por garotos que nao entendia como se sentia.
Ficamos adultos e com isso veio as responsabilidades da faculdade e dos estudos pioraram cada vez mais por que agora teriamos que escolher uma profissão para resto da vida, e com isso você acabou se mundado para outra cidade, e nossas conversas se tornaram cada vez mais raras. E suas desiluções com o amor so aumentaram, as poucas vezes que te via você estava triste e criticando sobre varias caracteristicas que possuimos, e sem perceber você estava se condenando por nao perceber como eles eram antes de se relacionar contigo, e percebi que você a cada momento estava ficando amarga e triste por nao encontrar alguem para dividir suas aflições e medos.
O Amor tende a fazer isso conosco, tirar nossa visão e nao perceber a verdadeira natureza do problema e quando percebemos é tarde demais.
Hoje você esta aqui mais um vez conversando comigo depois de cinco anos longe de casa e contando como esta a sua vida financeira e seu coração esta triste e decepcionado com o seu ultimo relacionamento.
- Ja faz muitos anos desde que nos conhecemos Elena. E com o tempo que passei contigo e as coisas você me contou e como se relacionou com eles. Só poderia mesmo acabar mal. Você estava tao focada naquilo que ele deveria ser e como deveria se comportar que nao acabou percebendo que você nao aceitava como ele é.
Elena: E como ele é Angelo?
Angelo: Um ser humano, e como todo ser humano. Ele erra e muitas fez feio, nao por que quer e sim por nao perceber que esta errando muitas vezes. Mais infelizmente nao compreendemos isso, e so vemos o nosso lado. E digo isso tambem por experiencia propria. É triste as vezes dizer isso, mais algum tempo atras eu era apaixonado por você.
Elena: Eu sei que as vezes erramos sem querer mais eles continuavam a fazer os mesmo erros e nao aprendiam. E como assim você era apaixonado por mim? E Por que nunca me disse isso antes?
Angelo: Por que na epoca eramos so adolescentes e você estava num mundo completamente diferente do meu, e com tempo percebi que você precisava ver um pouco o mundo e também. Por ser muito jovem percebi que so poderia ser uma pequen a faisca ou uma admiração que tinha por você e deixei a merce do tempo para me dizer o que realmente sentia. Tive minhas desiluções tambem como você e com elas aprendia certas coisas sobre o relacionamento, que as vezes ignoramos. E por ignorar as vezes isso acaba destruindo um relacionamento.
Elena: Então todo esse tempo você me escutou mesmo estando apaixonado por mim.
Angelo: É triste dizer isso mais sim. E percebi com o tempo que caras como eu, as vezes tem que esperar e ver se a pessoa na qual nos apaixonamos, aprendi que na vida ela era encontrar muitas garotos que nao prestam. Porem elas nao percebem que as vezes uns ja nascem assim e outros aprendem com elas a serem assim pois sofreram muito com outros garotos que eram assim e desse jeito fica o ciclo. E acabamos so sendo amigos para elas, como falam pessoas legais nao atraem muitas garotas bonitas e vejo que é verdade agora. É uma pena que você nao tenha percebido isso por si só. Mais essa é verdade da vida.
Elena: O pior de tudo que você sempre foi cruel nas palavras Angelo mesmo agora quando estou fragilizada e triste você fala como se eu fizesse isso por querer. Você tambem nao entende como as pessoas estao.
Angelo: Elena ... nao sou cruel .... so estou falando a verdade ... e por esse motivo talvez doar ... porque a verdade as vezez é cruel e nao podemos muda-la para algo lindo e belo.

Ela saiu correndo com lagrimas no rosto, e naquela noite percebi que as vezes precisamos falar a verdade por mais que doa, tem que ser dita. Para que as vezes analisemos e assim crescer espirituamente e emocionamente. Porem isso nao foi o fim mais o resto da historia fica para depois.
Continuação
Passou-se um ano desde a nossa ultima conversa e acabamos nos ocupando com trabalhos da universidade. Com tempo ela acabou arranjando outro namorado e eu também acabei me relacionando com uma garota na qual acabei me apaixonando.
Após esse período nossas famílias decidiram fazer uma festa de final de ano. Como o período da universidade acabou, tive que comparecer a festa. Ela estava bonita como sempre, porém seu rosto demonstrava preocupação. Como nós estávamos acompanhados pelos nossos respectivos parceiros preferi não me aproxima desnecessariamente, pois percebi que ela se sentia desconfortável com a situação que se encontrava.

Depois de um tempo você observando o ser humano em algumas situações que ele se encontra e a forma como ele se comporta em cada uma delas, você adquiri um olhar mais critico sobre as ações que deve tomar. E foi isso que aprendi com o tempo que passei a viver sozinho e a depender das minhas próprias decisões para não me meter em casos desnecessários. A noite da festa se acaba e no final não trocamos nenhuma palavra.
Depois daquele dia cada retornou para suas casas. Iniciou-se mais um período da universidade, com algum tempo depois percebi que eu e minha companheira tínhamos ideias diferentes e sonhos diferentes que não se completariam se permanecemos juntos. Com 21 anos percebi que a vida tem muitos momentos baixos e complicados, e com esses momentos você aprende o quanto você necessita se amadurecer e aguentar as quedas da vida.
Ouvir rumores que o namoro dela não havia dado certo também, talvez ela não tenha entendido o que quis dizer naquele dia quando conversamos. E voltei a me perguntar se um dia ela entenderia o que realmente quis lhe dizer.
Um dia estava visitando o shopping para comprar algo que necessitava e por coincidência acabamos nos esbarrando. Infelizmente não pode desviar e dizer que não tinha visto ela, o destino nos obrigou a se encontrar um com outro. As pequenas armações que ele faz para que possamos colocar a pá tudo que estava incomodando um ao outro de forma clara, isso é se a pessoa perceber que isso que ele quer que façamos, porém algumas vezes não percebemos isso e acabamos ignorando esse pequeno aviso. E foi o que infelizmente aconteceu conosco naquele dia.
Só sorrimos para outro e falamos pequenas besteiras, e perguntas comuns um para outro e nos despedimos. Algumas vezes o elo que liga as pessoas umas as outras se enfraquece com tempo e foi o que aconteceu conosco naquele momento.
Por incrível que pareça ele ainda armou outra cilada para nós. Algo que nem eu desconfiaria que poderia acontecer, porem o mundo tem varias formas de lhe mostrar que tudo que você aprendeu agora, em algum momento não significa nada.
Continuação
Numa sexta-feira recebo uma ligação e para me surpresa era Elena pedido para que eu fosse num endereço. Para minha surpresa quando cheguei ao endereço estava acontecendo uma grande festa, e ela estava altamente embriagada. E pior de tudo que ela não é acostumada a beber, ou pelo menos não era.  Todos se divertindo e ela altamente alterada, quando vi aquilo bateu por um momento uma tristeza não sei ao certo o porquê disso.
Elena: Angelo você veio.
Angelo: Sim, você realmente acreditou que deixaria de vi ver uma amiga?
Com um sorriso no rosto.
Elena: Não sei ao certo, devido a nossa amizade ter esfriado desde aquele dia.

Angelo: Diria que você só foi pega de surpresa e não soube como reagir à situação, e para ser franco a maioria de nós não sabemos e não sou diferente de você.
Elena: Eu queria ... Ter reagido diferente ... Quem sabe assim não estaríamos tão distante um do outro.
Angelo: Com tempo você aprende que nem tudo sai do jeito queremos e temos que nos adaptar com a situação que foi criada no momento que não soubemos como a reagir. Mais eu não te culpo por nada Elena.
Elena: Obrigado (sorriso no rosto), venha se diverti.
Com tempo ela acabou bebo demais e ficando mais bêbada do que estava, e para situação complicada tive que leva-la para hotel onde ela estava hospedada.
A situação ficou mais complicada quando ela algum momento de loucura tentou me beijar, porem não permitir.
Elena: O que foi Angelo?
Angelo: Elena ... Acredito que não seja o momento certo para isso.
Elena: Por quê?
Angelo: Acredito que você bebeu demais, e precisa descansar somente isso.
Elena: Você esta querendo dizer que estou bêbada e não sei o que estou fazendo não é?
Angelo: Algumas vezes é isso que fazemos ... Infelizmente não vou mentir para você. (pensativo) Acho melhor você dormir. Você veio sozinha ou veio com alguém?
Elena: Vi com uma amiga, ela já deve esta chegando.
Angelo: Então irei esperar ela chegar, enquanto isso tente dormir.
Ela trocou de roupa e foi dormir como disse, pensando bem agora naquele dia deixei uma oportunidade passa, e para ser franco não sei ao certo se ela achou ruim ou não. Às vezes não sabemos como as mulheres pensam sobre certas atitudes.
Amiga dela chegou meia hora depois a deixei aos cuidados de sua amiga e fui para casa. Quando penso que minha vida não poderia fica confusa, acontece esse tipo de coisa.
Desde aquele dia passou se seis meses e meu período da universidade tinha acabado e fui visitar os meus pais, para minha surpresa Elena também estava na cidade. As correntes do destino se entrosando de todas as formas possíveis.
A noite ela me chamou para conversamos sobre a situação que tinha ocorrido no hotel, para minha surpresa.
Elena: Angelo ... Queria lhe pedir desculpas da forma que agir no hotel. Eu estava meio fora de si, para ser franco não sei o porquê fiz aquilo.
Angelo: Elena não precisa pedir desculpas, eu sei que você estava sentido um pouco fragilizada e no momento que estava cuidando de você se sentiu atraída para retribuir de alguma forma, e o cérebro às vezes nos pregar peças.
Elena: Eu me pergunto quando você se tornou tão sábio assim sobre tudo que acontece em relação a essas situações da vida.
Angelo: Foi à vida que me ensinou, e não acredito que seja tão sábio assim. Só que percebo que certas coisas não deveriam acontecer daquele jeito. Para ser franco resistir àquela situação tentadora foi difícil ... Mais um de nós dois deveria se comprometer a fazer a coisa certa. Não é mesmo?
Elena: Às vezes as coisas que parecem certas são as erradas Angelo. Foi o que aprendi também nessa minha jornada, porem eu fico feliz que você não tenha se aproveitado da situação que me encontrava para tirar vantagem. Sabe desde aquele dia que você se confessou para mim e disse tudo àquilo sobre as pessoas que escolhia e como eu tentava muda-las, para ser franca eu escutei o que você me disse e tentei nas minhas relações futuras não fazer aquilo, porem acho que não deu muito certo ate agora.
Angelo: Hum, não é tão fácil como parece encontrar alguém nos ame do jeito que nós somos não é mesmo (sorriso no rosto).
Elena: Não é, porem estou começando achar que não é impossível.
Angelo: Fico feliz por isso. O que sei é que nosso tempo passou Elena, e o trem partiu mais saiba que acredito que um dia você ira encontrar alguém, como eu também irei encontrar.
Elena: Espero que esteja certo meu amigo. E obrigado por tudo que você tem feito por mim, você não sabe o quanto isso é importante para pessoa.
Angelo: Talvez eu saiba ou não (sorrindo), mais sei que daqui para frente às coisas iram se caminhar direito.
Alguns momentos depois da conversar que tivemos o destino colocou uma bela mulher chamada Michele na minha vida, e para Elena apareceu alguém que podia contar nas horas que ela mais precisava. O destino amarrou as situações e as ocasiões que levaram para esse resultado inesperado, porem único.
Angelo: Meu querido filho, espero que você tenha entendido algo sobre a vida a parti da minha historia.
Filho: Pai, eu não acredito que você me deixou preso aqui para contar a sua vidinha mais ou menos e me dar lição de moral. Lamento mais não estou nem ai para o que você me disse.
Angelo: Para ser franco com você, eu sei muito bem que a loucura que você fez foi por um amor que não esta sendo correspondido, e não estou querendo que você acabe na prisão por não entender que as vezes a vida nos prega peças como essa, nem sempre o primeiro amor vai ser correspondido e felizes para sempre.
Filho: Por que a vida é assim pai?
Angelo: Não sei filho, mais o que sei é que com tempo percebemos que certos amores vêm e vão. E aquele que e destino a fica, temos que dar valor. Espero que você tenha aprendido algo com meus relatos. E senão aprendeu a vida ira te ensinar mesmo que você não queira, pois assim é a vida.
Filho: Acredito que aprendi algo sim, mais acho que terei que passar na pele para entender. Não é?
Angelo: Infelizmente sim, mais o bom é que você sabe sobre certas armadilhas da vida e poderá compreender na situação que se meteu antes de se lascar por inteiro (sorrindo).
Filho: Pode ser ate verdade, mais acho que irei demorar muito para captar isso. Para ser franco sou péssimo para esse tipo de coisa.
Angelo: Muitos de nós somos filho, agora vá se diverti um pouco e ver se não se meti em encrencas de novo.
Assim ele saiu pela porta da sala, longo que veio atrás foi minha esposa Michele.
Michele: Você sabe que não gosto que você comente sobre suas antigas paixões não é?
Angelo: Querida, eu sei mais algumas vezes para ensinamos algumas coisas para nossos filhos precisamos contar sobre nossas desilusões amorosas. Para ver se eles não criam mais mulheres que brinquem com os homens, e homens que brinquem com as mulheres. Só estou tentando evitar que ele se torne um, estou errado?
Michele: Não esta, mais nós sabemos que existi homens que já nascem com esse intuito.
Angelo: Eu sei, mais podendo impedir que mais um se torne no meio da vida, fara uma pequena diferença no mundo. Apesar de acreditar que ele não se perderia tão facilmente assim.
Michele: A vida é cheia de surpresa querido.
Depois que contei minha vida meu querido filho se acalmou mais sobre os problemas do coração e sempre conversar comigo sobre certas questões. O que aprendi passei para ele, porem só aprendemos realmente quando passamos pelas situações, as correntes do destino são traiçoeiras e devemos aprender que tem momentos na vida que nem todo o conhecimento do mundo ira te impedir de sentir certas tristezas e evitar certas situações difíceis mais cabe a você manter a cabeça erguida e seguir em frente.
Enquanto a Elena. Continuamos a nos encontrar na vida e mantivemos nossa amizade apesar de tudo, aprendi que primeiro amor sempre ficara no coração independente do que você faça para arranca-lo, e se você não tomar cuidado ele pode acabar se tornando um veneno perigoso e letal. A vida não é fácil e os sentimentos e as paixões são as coisas mais complicadas de se administrar, por que se você não percebe que esta caminhando no caminho errado pode acabar se tornando uma pessoa rancorosa e solitária.
Aqui terminar os relatos do meu diário, ou melhor o diário Angelo.